Motivação, performance e aprendizado

maio 22, 2015 § Deixe um comentário

How a Small Change Can Boost Your Motivation and Performance

Em 2009, a dra. Heidi Grant Halvorson1 conduziu um teste para avaliar a motivação e o seu impacto na performance. Ela dividiu os participantes em 2 grupos: o grupo dos “seja bom” e o grupo dos “faça melhor”. Ao primeiro grupo, disse que o resultado do teste “refletiria as suas habilidades conceituais e analíticas”, ao segundo, que os problemas propostos eram para ajudá-los a “treinar” e que “aproveitassem a oportunidade para aprenderem o máximo possível”.

Durante os testes, a dra Halvorson aumentava a dificuldade das questões, incluindo até algumas insolúveis. Enquanto os integrantes do grupo “faça melhor” se mantiveram imperturbáveis e resolveram a maior quantidade possível de questões (fáceis e difíceis), tentando aprender o máximo que pudessem, os integrantes do grupo “seja bom” se mostraram desmotivados a medida que os obstáculos se tornavam mais desafiadores.

Segundo a pesquisadora, a diferença de performance foi causada pelo modo como as metas iniciais de aprendizado foram definidas. O aprendizado deve ser definido pelo seu objetivo global e não por objetivos de performance (como por exemplo, “aumentar o índice de aprovação para 80%”). A performance é consequência e não razão de um aprendizado.

Esse e outros cases podem ser encontrados no livro “ Succeed: How We Can Reach Our Goals”.

1 Halvorson, Heidi Grant. Succeed: How We Can Reach Our Goals. Plume. 2011.  p64-68.

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com performance em Marcelo Tibau.